Atividades | Oficinas de Autoconhecimento | Cuidado entre Fadas

Cuidado entre Fadas

As fadas representam os poderes do espírito e as capacidades mágicas da imaginação. As fadas são seres capazes de realizar feitos extraordinários e realizar desejos. A palavra fada vem do latim Fata, que significa fado ou destino.

  • quartas, em 2019
  • Valor de troca: R$ 30,00
  • Facilitadora: Teresa Batista
  • No Núcleo Chama Trina
antepassados

São círculos de mulheres cuidando e empoderando mulheres. Vamos em busca da Consciência das Fadas – ou da Sabedoria das Fadas – onde a mente (o filtro que nos torna separadas do Cosmos) é colocada a serviço da Consciência, para a absorção de nossa Natureza Cósmica, a Pura Natureza Feminina.

A quem se destina: a mulheres que desejam se empoderar e se proporcionar bem-estar através do cuidado recíproco; para mulheres que desejam encontros de cura, partilha, celebração,  verdade, confiança, compaixão e autenticidade, onde o que é dito ali permanece, onde não há julgamento e podemos mostrar e ser quem somos: em beleza, vulnerabilidade e poder.

 

Programa:

  • Vivências com a energia corporal, como o taurus e os anéis energéticos de Reich, objetivando o encontro com a alegria, o aumento de potência, a liberdade e a mística das Fadas.
  • Vivências de unificação com a Pura Natureza Feminina.
  • Assumir a Luz e encarar a sombra.
  • Diálogos reconfortantes e fortalecedores para elevação da vibração interna.
  • Ressignificação dos contos de Fadas – Temas: O Príncipe Encantado (ou Alma Gêmea), A Bruxa Má (Quem é?; as Sabotagens); A Floresta Ameaçadora (o seu Dia-a-dia); A Fada Madrinha (seu Poder Interno); A Mãe Ausente (o Feminino “indefeso”); O Pai Viúvo (o Masculino “incapaz”).

Para Ernest Bloch no centro do conto de fadas se encontram “tendências para a liberdade, para uma superação dos limites naturais”.

O conto é um espelho mágico no qual somos convidados a mergulhar, a fim de nos reconhecermos. Não no sentido de nos afogarmos numa autocontemplação estéril, como Narciso, mas antes no de nos observarmos tal e qual somos, para além das aparências.

Existe em cada um de nós uma princesa encantada (ou fada) que achamos feia e abominável: são os nossos recalques, que vivemos sob a forma de vergonha, inveja, cólera e desencorajamento, entre outros. Se aprendermos a ver esses instintos nesse espelho de verdade que são os contos, poderemos contemplar as verdadeiras belezas que habitam em nós e que choram enquanto aguardam a sua libertação.

Essas princesas/fadas só têm um herói: nós mesmos. É a nós que compete libertar o nosso reino interior e a princesa/fada belíssima que nos espera. É a parte mais íntima do nosso ser que encontramos no espelho dos contos e que nos conduz à libertação e ao desabrochar pleno. Existe uma identidade perfeita entre nós e o conto. O conto é a nossa história. É a encenação metafórica de aspectos nossos que ignoramos, recusamos, ou que não sabemos ver tal e qual são. Se conseguirmos penetrar no espelho e reconhecer a nossa imagem, se escutarmos o conto para nele encontrarmos aspectos concretos da nossa existência, bastar-nos-á pôr em prática as suas propostas e viver a nossa vida segundo esse modelo de verdade.

Outras terapias

DSC09570

Rituais do 7° Raio

  • quartas à 19h
  • Atividade gratuita
mestres fraternidade branca

Reiki

  • quartas, às 14h, mediante inscrição
  • Consulte o valor de troca com a terapeuta
    (Patrícia 21 99149-1911)
Saint-Germain-Ascended-Master-1500x580

Terço de
Saint Germain

  • terças, à 21h
  • Atividade gratuita